BMon – a poderosa ferramenta de debug e monitoramento para Linux ( Instalando o Bmon )

Bmon é uma ferramenta simples e poderosa para monitoramento e debug de rede para Linux. Ela possibilita capturar e analisar dados estatísticos de rede.

Começaremos este tutorial mostrando como instalar e configurar o Bmon em sua máquina com Linux.

Instalando
Abra o terminal e digite os seguintes comandos abaixo:

git clone https://github.com/tgraf/bmon.git
cd bmon
$ sudo apt-get install build-essential make libconfuse-dev libnl-3-dev libnl-route-3-dev libncurses-dev pkg-config dh-autoreconf
sudo ./autogen.sh
sudo ./configure
sudo make
sudo make install

Como utilizar o bmon para monitorar largura de banda

Depois de compilar o bMon em seu ambiente, vamos começar a brincar um pouco com ele. No terminal simplesmente execute o comando:

bmon


No exemplo acima podemos notar o tráfego RX e TC da transmissão em bytes por segundo de nossas interfaces.

* Para visualizar mais detalhes estatísticos e informações do tráfego use a tecla (d). Para visulizar todas as opções de atalhos de teclado tecle ( Shift + ? )

Um pouco mais sobre o Bmon

1) Monitorando uma interface específica

bmon -p enp1s0

2) Monitorando uma interface por bytes por segundo

bmon -bp enp1s0

3) Alterando o intervalo de monitoramento da interface

bmon -r 5 -p enp1s0

* A opção -r 5 diz que o bmon irá atualizar os dados a cada 5 segundos.

Como utilizar os módulos de saída do Bmon

Bmon também usa módulos de saída para exibir ou exportar os dados estatísticos coletados pelos módulos de entrada acima, o que inclui:

curses – esta é uma interface de usuário de texto baseada em curses interativas, oferece estimativas de taxa em tempo real e uma representação gráfica de cada atributo. É o modo de saída padrão.

ascii – é uma saída de texto simples e programável destinada ao consumo humano. Ele pode exibir a lista de interfaces, contadores detalhados e gráficos para o console. É o modo de saída de retorno padrão quando as maldições não estão disponíveis.

format – é um modo de saída completamente programável, é destinado ao consumo por outros programas – o que significa que podemos usar seus valores de saída mais tarde em scripts ou programas para análise e muito mais.

null – isso desabilita a saída.
Para obter mais informações sobre um módulo, execute-o com o sinalizador “ajuda” definido como se:

bmon -o curses:help

SSH desconecta quando não há atividade

A dica de hoje é para resolver aquele velho problema no SSH-Server que acontece quando você deixa o servidor em inatividade e ele derruba a conexão automáticamente.
Um problema chato mas fácil de resolver, com apenas duas linhas você resolve o problema.

Primeiramente abra o sshd_config e adicione as duas linhas abaixo:

ClientAliveInterval 60
ClientAliveCountMax 3

Feito isto reinicie o seu servidor SSH e tudo feito. No meu caso como estou testando no Debian 9 uma das formas de reiniciar os serviços é:

# systemctl restart sshd
# service sshd restart

Done! pronto se chegou até aqui sem nenhum erro no seu console o seu problema estará resolvido. Caso tenha alguma dúvida escreva nos comentários deste post

Até a próxima

Fazendo o NGINX voar com NGX_PageSpeed

O NGINX ( Engine X ) é sem dúvida um dos web servers mais optimizados em termos de velocidade de entrega de conteúdo. O módulo NGX PageSpeed dá um gás ainda maior na entrega de conteúdo no web server. Neste artigo irei exemplificar como fazer a instalação do NGX PageSpeed no NGINX.

Principais funcionalidades
HTTPS support with URL control.
Image optimization: stripping meta-data, dynamic resizing, recompression.
CSS and JavaScript minification, concatenation, inlining, and outlining.
Small resource inlining.
Deferring image and JavaScript loading.
HTML rewriting.
Cache lifetime extension.
Allows configuring for multiple servers and many others.

Instalação
Estarei utilizando o Debian 9 para instalar o NGX PageSpeed rodando com um NGIX 1.10.1

Continuar lendo

CPUStat – Monitoranto utilização de CPU por processo no Linux

O CPUStat é uma ferramenta poderosa de monitoramento de processos de CPU no Linux que foi escrito em GO.

Instalação
A instalação dele é feito através do GO. Execute o seguinte comando abaixo:

# go get github.com/uber-common/cpustat

Utilização
O CPUStat precisa de permissão de super usuário para rodar. Sendo assim utilize o SUDO ouu o próprio root para executar.
Continuar lendo

Utilizando o INXI no sistema Linux ( monitorando um Linux System de forma inteligente )

O INXI é uma ferramenta poderosa que funciona via CLI baseado em scripts. Ele traz informações sobre hardware de uma forma muito prática basta que você entenda as flags de comando disponíveis no script.

Instalação
A instalação é muito simples estou colocando no exemplo abaixo as opções de acordo com a distro que esteja utilizando:

$ sudo apt-get install inxi   [On Debian/Ubuntu/Linux Mint]
$ sudo yum install inxi       [On CentOs/RHEL/Fedora]
$ sudo dnf install inxi       [On Fedora 22+]

Dependências
Como ele é um script há necessidade de instalação das bibliotecas e ferramentas auxíliares. Para descobrir quais são estas ferramentas você consegue descobrir com o comando:
Continuar lendo