Manipulação de imagens no OSX com comando SIPs

No OS  X existe um comando chamado sips que possibilita a manipulação de imagens sem a necessidade de Photoshop.

Segue abaixo alguns exemplos de utilização do comando:

Batch resize group of pictures with sips

Though most Mac users will likely prefer to use Preview to batch resize images because of the ease of use, advanced users often like to go with the command line for repetitive tasks. We’vediscussed sips before as a way to resize, rotate, and flip images, but if sips is combined with wildcards it can also function as a quick way to batch resize a group of photos.

Launch Terminal from the /Application/Utilities/ folder and use the following syntax:

sips -Z (max height in pixels) /path/to/images/*.(image file extension)

For example, to resize a collection of jpg pictures to each have a max height of 620, located in the desktop folder “ResizeMe”:

sips -Z 620 ~/Desktop/ResizeMe/*.jpg

The -Z flag instructs sips to retain the images original aspect ratio while maintaining a maximum height of 620, but you can also specify exact height and width by using a lowercase -z flag instead like so:

sips -z 620 840 *.jpg

The height in pixels is first, followed by the width in pixels.

If the command line doesn’t fit well into a workflow, another great option is to batch resize imageswith an Automator script, which has the added benefit of becoming a self-contained application allowing for standard Finder interactions like drag and drop.

 

Argumentos de inicialização do OS X

Os argumentos de inicialização do Mac OS X servem para ativar e desativar recursos assim como para recuperação do sistema. Caso você esteja fazendo um Hackintosh ele também serve para configurar parametros para inicalização.

-x -v -f acpi=off PCIRootUID=1 GraphicsEnabler=No nv_disable=1

 

Mac OS X Hardening pela NSA

O documento em formato PDF que iremos disponibilizar abaixo foi criado pela NSA para fazer um hardening no Mac OS X. O documento fala sobre tunning de segurança no OSX com diversos settings para melhorar a segurança do SO.

Vale a pena a leitura principalmente para os profissionais de segurança

Download

Minicurso de GIT

Curso rápido de GIT

1) Configurando o seu nome nos parametros globais para trabalhar com o GIT
É importante você identificar seu usuário e e-mail para fazer os commit em seus repositórios remotos
e também no stage local. Para isso você pode usar a flag config como no exemplo abaixo:

git config –global user.name “Andre Jaccon”
git config –global user.email “[email protected]

2) Criando um repositório GIT ( preparando seu stage )
Para inicializar um novo repositório GIT você deve utilizar o comando

git init .

* OBS: o ponto após o git init significa o diretório atual.

3) Verificando o status do stage local para o commit
O commando git status irá apresentar todos os arquivos que estão para serem atualizados no seu stage local.
Este comando irá guiar o estado de cada arquivo presente em seu repositório

git status

4) Adicionando alterações ao repositório local
Para adicionar os novos arquivos para o diretório atual você deve executar o comando:

git add *

5) Fazendo o primeiro commit
Depois que você adicionou os novos arquivos para o repositório local ( stage ) é hora de fazer o commit.
Para isto utilize o exemplo de comando abaixo:

git commit -m “Meu resumo do commit aqui”

6) Atualizando um repositório remoto
O comando git remote add origin xxxxx irá atualizar um repositório remoto com as atualizações feitas no
stage local. Para isto execute o seguinte comando abaixo:

git remote add origin xxxxxx

* xxxx é o caminho do repositório remoto. Caso esteja utilizando Bitbucket cole o caminho do seu repositório. O mesmo deve-se a outros repositórios de arquivos.

Para listar o repositório remoto adicionado execute o comando:

git remote -v

7) Adicionando um arquivo README.md
Os arquivos readme.md utilizam o formato mark down para suas sintaxes. No exemplo abaixo iremos criar um
arquivo readme com um título estilo h1 descrevendo o título do projeto.

# Apenas um test de título

O comando abaixo adiciona imagens ao readme.md. Equivalente ao img src do html
![Seu texto aqui](./image.jpg)

8) Status de arquivos de um repositório GIT
untracked) não monitorado
modified) modificado
staged) preparado
commited) consoligado

9) Usando o diff no GIT
Com o comando diff você consegue ver a diferença entre os status dos arquivos no diretório monitorado com o GIT com seus commits. No exemplo abaixo iremos comparar o status dos arquivos do diretório atual com o último commit

git diff HEAD~1

Para você comparar dois commits execute o comando:

git diff 9a8ffc6b4 a801aa60e74e7a9d8d

10) Utilizando o Pull
Com o comando git pull é possível baixar as atualizações de um determinado repositório remoto para o repositório local. O comando é simples:

git pull

11) Navegando no histórico do Git
Permite ver como um determiando arquivo ou repositório estava em um determinado commit

git checkout <commit> <file>

12) Tirando uma alteração de uma arquivo adicionado
Caso tenha dado um git add em um determinado arquivo e você quer remover ele do seu stage execute o comando:

git checkout HEAD — <filename>

13) Revertendo um commit
– Irá criar um novo commit que desfaz as alterações do commit especificado
– Útil para desfazer um commit antigo

git revert <commit>

14) Resetando o repositório

– Reseta o repositório para um determinado commit.
git reset <commit>

Resetando e removendo todas as alterações

git reset — hard <commit>

O comando git reset com a flag soft ele remove o commit mas remove também as alterações daquele commit

git reset HEAD~1 –hard

15) Conflitos

em GIT | 617 Palavras

Alterando a senha padrão do MySQL no OSX

A instalação padrão do MySQL no OSX gera uma senha temporária que básicamente não dá acesso a nada. Para alterar esta senha siga os passos abaixo:

No terminal digite:

mysql -u root -p
SELECT 1;  **** perceba que o comando não retornará nenhum valor
SET PASSWORD = PASSWORD(‘sua-senha-aqui’)
SELECT 1;

*** Pronto sua senha foi alterada com sucesso

As novidades do F8 2016

 

O evento F8 ( evento voltado a desenvolvedores feito pelo Facebook ) será realizado amanhã 12/04/2016. Entre as novidades previstas para serem apresentadas pelo próprio Mark estão Messenger, departamento de vídeos, Instant Articles e realidade virtual com os Óculus Rift.

Ao contrário dos outros anos as novidades desta vez parece estar voltada mais aos usuários dos produtos mas vamos conferir amanhã aqui no blog jaccon.com.br o que de fato será apresentado no evento.

Hacking :: Desvendando as máquinas de caça brinquedos

Screen Shot 2016-04-08 at 3.21.29 AM

As máquinas de caça brinquedos é algo que já deve ter levado um bom trocado seu correto? Bom pelo menos eu acredito que gastei um bom dinheiro até hoje e acertei apenas 2 vezes. A frustração levou ao estudo e a fazer um hacking destas máquinas.

A verdade
Em verdade não é só o conhecimento, habilidade com o joystick ou mesmo sorte para se dar bem com estas máquinas. Elas são parametrizadas pelos fabricantes ou mesmo pelo lojista para a quantidade de força na garra X quantidade de tentativas ou mesmo por uma porcentagem na quantidade de acertos para uma porcentagem de erros.

Screen Shot 2016-04-08 at 3.28.27 AM

E como ganhar ?
O software que gerencia estas máquinas são salvos diretamente na firmware do equipamento ou seja não há combinação de joystick que ative o funcionamento.
Resumindo não caia nesta por que é fraude. Assista ao vídeo abaixo e entenda melhor a respeito destas máquinas.

A fusão do developer e o profissional de operações DEVOPS

A diferença dos profissionais de TI dos profissionais das demais áreas é que temos que ter em mente que tudo é provisório. A tecnologia que você se julga ser o melhor hoje pode deixar de existir amanhã e a área que você trabalha pode fundir com outras no qual exige uma velocidade de adaptação mais rápida que as demais áreas do mercado. Isso deve-se pela velocidade de atualizações e novas tecnologias.

Em pouco tempo atraz tínhamos os profissionais de TI que trabalham muitas vezes em conjunto com o departamento web que era dividido entre webmasters, web designers e profissionais de social media. A segmentação de algumas funções e junção de outras acabou criando o conceito de DEVOPS ( Fusão de developers e profissionais de operações de TI ). A necessidade do profissional saber configurar o ambiente no qual ele irá desenvolver a aplicação levou os developers a terem a necessidade do contato em operações de TI e infra-estrutura. Já por outro lado muitos profissionais de TI tiverem que se adaptar e também abrangir a área de desenvolvimento.

É isso, tudo junto e misturado !